terça-feira, 25 de junho de 2013

O TABERNÁCULO DE DAVI

Posted by Angelo Bazzo on 08:02 | No comments

Em 750 a.C, Amós profetizou sobre a restauração do tabernáculo de Davi.

“Naquele dia, levantarei o tabernáculo caído de Davi, repararei as suas brechas; e, levantando-o das suas ruínas, restaurá-lo-ei como fora nos dias da antiguidade” (Amós 9.11).

O tabernáculo de Davi fala do centro de governo da terra que opera a partir de um espírito de louvor e oração. Ele consiste tanto de uma ordem de adoração quanto de uma autoridade governamental. Possui uma expressão nacional em Israel e uma internacional através do corpo de Cristo.

O tabernáculo de Davi tem pelo menos sete expressões que estão profundamente interligadas:

  1. Espiritual – o corpo de Cristo na adoração proféticacomo em (1 Cr 16.1-4, 37).
     
  2. Política – O governo justo de Deus nas nações (Is 16.5).
     
  3. Messiânico – um remanescente com fé que está na terra e no Estado restaurados (Amós 9.14-15).
     
  4. Missional – impactando todas as nações com o evangelho do reino (Amós 9.12).
     
  5. Transformacional – graça para restaurar cidades e a agricultura (Amós 9.13-14).
     
  6. Sobrenatural – liberação do poder de Deus, da sua glória e seus milagres (Sl 145.11–12).
     
  7. Escatológica – Jesus recebido em Jerusalém como o Rei sobre todas as nações.


O tabernáculo de Davi é expresso através da igreja internacional em todas as tribos e línguas da terra. É expresso através do remanescente messiânico presente no Estado e na terra restaurada de Israel. Ele une três dimensões – a Igreja que ora, o movimento messiânico e o Estado de Israel.

Ele se manifesta em parte nesta era (à medida que cresce progressivamente e em plenitude no Milênio. A restauração total do tabernáculo de Davi vai acontecer somente depois que Jesus voltar para governar todas as nações a partir dotrono de Davi em Jerusalém.

Excerto de um artigo por Mike Bickle

[top]

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O missionario - a vontade de Deus - a alegria

Posted by Angelo Bazzo on 09:20 | No comments



Deus é missional, ele concede vocações para cada pessoa, para que tal chamado seja desenvolvido em algum lugar. A este desenvolvimento vocacional em um território especifico eu chamou de "missões", colocando em outras palavras : fazer missões é cumprir a vontade de Deus para minha vida no lugar que por Deus foi designado. 

O missionario 
É um cristão que tendo recebido a convocação divina, agora tem todos os seus demais sonhos eclipsados pelo fogo do destino profético que o consome. Meu amigo Anderson Bomfim escreveu uma musica que diz : "dentro de mim a um chamado que me persegue". Ja o apostolo Paulo disse "ai de mim se não pregar o evangelho". Para mim o missionario é a constituição humana da punção vocacional sendo encarnada em um campo.

Alegria 
Se és missionario, logo és vivente da vontade de Deus. Em Romanos 12.1-3 aprendemos que a vontade de Deus é boa, perfeita, agradável. Alguns erroneamente afirmam que essa vontade é boa para Deus, mas não para nós, afirmando indiretamente assim que a vontade de Deus é algo ruim, e logo proclamando a blasfêmia que o Deus que criou tudo muito bom, tem uma vontade ruim para nós. A vontade de Deus é boa, não apenas para ele, mas para todos os que a experimentam. 

É fato que nossa alma muitas vezes se encontra no dilema de obedecer ou não a vontade de Deus, mas isso não acontece por ser tal vontade algo  essencialmente ruim, mas por ser nossa carne, enferma na insanidade de amar as trevas mais do que a luz. Mas de fato, se o filho de Deus, recebe confiança em seu Mestre para obedece-lo, verá que o processo de viver a vontade de Deus, ainda que possa envolver dor do quebrantamento, também é plena de satisfação na presença de Deus, presença essa encontramos plenitude de alegria. 

Por isso, para mim, todo e qualquer apelo para fazermos a vontade de Deus, principalmente quando falamos de missões,poderá constituir-se de um erro se isso for feito com base na afirmação  de que fazer a vontade de Deus é ruim. Tão ruim que ninguém quer fazer,apenas alguns heróis. Devemos convocar pessoas para servirem no campo pois nesse ambiente somos totalmente completos em Deus e não por ser um dever. 

Sim missões é nosso dever, mas o senso de dever não nos faz permanecer muito tempo em uma posição. A única coisa que faz alguém ficar firme como uma estaca bem fincada no chão de um povo é a alegria de servir a Deus. 

Dessa forma, fazer missões deixa de ser apenas um dever. E nosso dever passa a ser a alegria em fazer missões. Dessa forma, o missionario, é a pessoa mais feliz do mundo, pois experimenta a vontade de Deus. Dessa forma forçar a barra com apelos missionários  emotivos e condenatórios, não se constitui a forma certa de procedermos em relação a missões e a vontade de Deus. 

Missões é a alegria de fazermos a vontade de Deus em um lugar no qual Deus nos enviou. 

Salmos 100:2
Servi ao SENHOR com alegria...

Colessenses 1:24-25
 Agora, me regozijo nos meus sofrimentos por vós; e preencho o que resta das aflições de Cristo, na minha carne, a favor do seu corpo, que é a igreja; da qual me tornei ministro de acordo com a dispensação da parte de Deus, que me foi confiada a vosso favor, para dar pleno cumprimento à palavra de Deus:

[top]

quarta-feira, 12 de junho de 2013

4 Falsos Evangelhos: Cuidado!

Posted by Angelo Bazzo on 07:07 | No comments

O que É o Evangelho?

O evangelho são as boas novas acerca do Jesus Cristo fez para reconciliar pecadores com Deus. Aqui está a história toda:

  1. O Deus único, que é santo, nos criou à sua imagem para que o conhecêssemos (Gn 1.26-28).
  2. Todavia, nós pecamos e nos separamos desse Deus (Gn 3; Rm 3.23).
  3. Em seu grande amor, Deus enviou o seu Filho Jesus para vir como rei e resgatar o seu povo dos seus inimigos – sobretudo do próprio pecado (Sl 2; Lc 1.67-69).
  4. Jesus estabeleceu o seu reino ao atuar, de uma só vez, como um sacerdote mediador e um sacrifício sacerdotal – ele viveu uma vida perfeita e morreu na cruz, assim cumprindo ele mesmo a lei e tomando sobre si a punição devida ao pecado de muitos (Mc 10.45; Jo 1.14; Hb 7.26; Rm 3.21-26; 5.12-21).
  5. Ele agora nos chama ao arrependimento dos nossos pecados e à fé em Cristo somente, para o nosso perdão (At 17.30; Jo 1.12). Se nos arrependermos  e confiarmos em Cristo, nascemos de novo para uma nova vida, uma vida eterna com Deus (Jo 3.16).

Então, essas são boas novas.

Uma boa maneira de resumir essas boas novas é descortinar biblicamente as palavras Deus, homem, Cristo, resposta.

  1. Deus. Deus é o criador de todas as coisas (Gn 1.1). Ele é perfeitamente santo, digno de toda adoração, e há de punir o pecado (1Jo 1.5; Ap 4.11; Rm 2.5-8).
  2. Homem. Todas as pessoas, embora criadas boas, tornaram-se pecaminosas por natureza (Gn 1.26-28; Sl 51.5; Rm 3.23). Desde o nascimento, todas as pessoas estão separadas de Deus, são hostis a Deus e estão debaixo da ira de Deus (Ef 2.1-3).
  3. Cristo. Jesus Cristo, que é plenamente Deus e plenamente homem, viveu uma vida sem pecado, morreu na cruz para suportar a ira de Deus em lugar de todos aqueles que haveriam de crer nele, e ressuscitou do sepulcro para dar vida eterna ao seu povo (Jo 1.1; 1Tm 2.5; Hb 7.26; Rm 3.21-26; 2Co 5.21; 1Co 15.20-22).
  4. Resposta. Deus chama todos os homens, em todos os lugares, para que se arrependam de seus pecados e creiam em Cristo a fim de serem salvos (Mc 1.15; At 20.21; Rm 10.9-10).

(Parte deste material foi adaptado de O Evangelho e a Evangelização, de Mark Dever, p. 55, publicado pela Editora Fiel)

Quais São Algumas das Mensagens que as Pessoas Falsamente Chamam de “O Evangelho”?

  1. Deus quer nos tornar ricos. Alguns pregadores atualmente dizem que as boas novas são que Deus deseja nos abençoar com abundância de dinheiro e possessões – e tudo o que nós precisamos fazer é pedir! Mas o evangelho é uma mensagem sobre bênçãos espirituais (Ef 1.3): Deus enviou Jesus Cristo para morrer e ressuscitar por nós, a fim de nos justificar, reconciliar com Deus e nos dar vida eterna com Deus (Rm 3.25-26; 6.23; 2Co 5.18-21). Além disso, a Bíblia promete que os cristãos não terão prosperidade material nesta vida, mas tribulação (At 14.22), perseguição (2Tm 3.12) e sofrimento (Rm 8.17), sendo que um dia todas essas coisas darão lugar a uma glória indizível (2Co 4.17; Rm 8.18).
  2. Deus é amor e tudo está bem conosco. Algumas pessoas pensam que o evangelho significa que Deus nos ama e nos aceita exatamente como somos. Mas o evangelho bíblico confronta as pessoas como pecadores que enfrentarão a ira de Deus (Rm 3.23; Jo 3.36) e então mostra-lhes a solução radical de Deus: a morte de Jesus na cruz, pela qual ele carregou os pecados do povo de Deus. Este evangelho chama as pessoas a uma resposta igualmente radical: a se arrependerem de seus pecados e crer em Cristo para a salvação.
  3. Nós devemos viver corretamente. O evangelho não é uma mensagem que nos ensina a viver uma vida melhor e, assim, nos tornar justos diante de Deus. Na verdade, o evangelho nos ensina exatamente o oposto: nós não podemos fazer o que agrada a Deus e nós jamais poderemos nos tornar aceitáveis a ele (Rm 8.5-8). Mas as boas novas são que Jesus fez por nós o que jamais poderíamos fazer por nós mesmos: ao viver uma vida perfeita e suportar a ira de Deus na cruz, ele assegurou a salvação de todos aqueles que dão as costas para o seu pecado e creem nele (Rm 5.6-11; 8.31-34).
  4. Jesus veio transformar a sociedade. Algumas pessoas acreditam que a missão de Jesus era transformar a sociedade e fazer justiça ao oprimido por meio de uma revolução política. Mas a Bíblia ensina que este mundo só se tornará justo quando Jesus vier novamente trazendo novos céus e nova terra (2Ts 2.9-10; Ap 21.1-5). O evangelho é, fundamentalmente, uma mensagem sobre a salvação da ira de Deus por meio da fé em Cristo, não a transformação da sociedade nesta era presente.

(Parte deste material foi adaptado de Nove Marcas de Uma Igreja Saudável, de Mark Dever, p. 82-102,  publicado pela Editora Fiel)

 

Extraído do site www.9marks.org. Copyright © 2013 9Marks. Usado com Permissão. Original: What is the gospel? e What are some messages that people falsely claim are the gospel?

Tradução: Vinícius Silva Pimentel – Ministério Fiel © Todos os direitos reservados. Website:www.MinisterioFiel.com.br /www.VoltemosAoEvangelho.com. Original: 4 Falsos Evangelhos: Cuidado!

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

9marks-logo2




[top]

terça-feira, 11 de junho de 2013

Interpretação Literal da Profecias sobre o Fim dos Tempos

Posted by Angelo Bazzo on 12:53 | No comments

Interpretação Literal das Profecias sobre o Fim dos Tempos

As profecias do Fim dos Tempos estão ligadas a Israel, porque Yeshua voltará para lá. Ao longo dos últimos 2 mil anos, a nação de Israel tem sido destruída e o povo disperso. Durante esse tempo, parecia difícil entender o sentido literal dessas profecias. Muitas interpretações “celestiais” eram apenas místicas e alegóricas e separadas das realidades históricas e terrenas.

Porém, agora que o povo judeu foi reunido e a nação restaurada, um cumprimento literal e físico dessas profecias está se tornando aparente e óbvio. Yeshua vai voltar, as nações vão atacar Israel, os mortos ressuscitarão, os santos serão arrebatados, o reino estabelecido em Jerusalém e o Éden restaurado na terra.

Algumas pessoas entendiam as profecias assim (literalmente). Aqui está uma citação do famoso físico Sir Isaac Newton (1642 – 1747): “Sobre os tempos do Fim, um grupo de homens será levantado que voltará sua atenção para as profecias, e insistirão em sua interpretação literal, em meio a muito clamor e oposição.”

Sim, tudo isso irá de fato acontecer. E aqueles que ousam acreditar nisso e declará-lo certamente enfrentarão controvérsias e oposição. Pelo menos Sir Isaac Newton pensava assim.

Com Holly Wallace

[top]

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Mais que um Sionista

Posted by Angelo Bazzo on 11:39 | No comments

Mais que um Sionista

Yeshua era um sionista? Não, ele não era um sionista; ele era mais do que isso. Aqui estão três dimensões a respeito do que é ser “mais” que um sionista:

I. Reino ou Estado?
Quando Yeshua ressuscitou dos mortos, ele passou 40 dias ensinando sobre a vinda do Reino de Deus (Atos 1.3). Seus discípulos entenderam que isso significava "a restauração do reino a Israel" (Atos 1.6). E, mesmo tendo corrigido os discípulos quanto à compreensão que tinham dos tempos e épocas, Yeshua afirmou que de fato, no fim, ele restauraria o reino a Israel (Atos 1.7).

A visão de Herzl e Ben Gurion era a de ter um Estado Judaico. Nós concordamos com isso. Contudo, Yeshua está propondo um reino. Um reino é mais que um estado, assim como a posição de um rei é maior que a de um primeiro-ministro. Yeshua está voltando para ser o Rei dos reis, não apenas um chefe de estado.

II. A Glória Shekinah
A que “reino” Yeshua e seus discípulos estavam se referindo quando falavam de sua “restauração”? O único que poderia ser “re”staurado: o reino de Davi e Salomão. Nesse reino, a nuvem de glória encheu o Templo (2 Crônicas 5) e o fogo caiu sobre o altar (2 Crônicas 7). Entretanto, no reino de Yeshua, a presença do Espírito Santo e o fogo da glória habitam dentro dos próprios discípulos, e não no templo(Atos 2.1-4).

O que é maior: a Glória de Deus habitando no Templo ou nas Pessoas? Obviamente, nas pessoas. A palavraShekinah significa “habitar dentro”. 

III. Todas as Nações
Quando os discípulos de Yeshua lhe pediram que restaurasse o reino, ele os enviou para serem testemunhas dele e do seu reino “tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1.8). Na realidade, ele expandiu as fronteiras de Israel, para incluir não apenas os dois lados do Jordão (o que, nos dias de hoje, seria bem “politicamente incorreto”), mas todo o território até a Califórnia e o Japão – até os confins da terra. Fazendo isso, ele cumpriu as profecias de Isaías sobre Israel ser uma “luz para os gentios” (Isaías 42.6; 49.6).

O reino de Yeshua é para todos os povos (Isaías 9.6,7; 56.7). Esse não é apenas um estado sionista ou nem mesmo um reino israelense. É uma comunidade mundial de países (commonwealth) ou império sob o governo de Yeshua o Messias (ta-ta-ta-ta… tataraneto de Davi e Salomão).

Asher Intrater

[top]